25 de nov de 2007

Dialógo


Crescer me foi doloroso
toda dor do universo doeu em mim
queria ver do espaço o planeta terra
uma bola azul...
e eu na praia
absorto no passe ao gol
chutando o mundo, a bola azul...
mas o dia me chama,
e a razão trama impassível a nova realidade
na noite insone das revelações
havia medo e aceitação...
romperam -se os diques dos segredos
e as horas pesadas recaem represadas
E por entre minha vontade de ser e não estar
erguesse imensa a sua história.
e meu instinto acorda acima da razão
e nosso abraço se torna imenso
maior que a imensidão da pradarias
e desvencilhamo-nos das roupas velhas
lançando-nos a novos voos e novas paisagens
esperando o dia romper
caindo imunes e nus
na nova manha
redescobrindo nosso amor
e o que há de ser.

6 comentários:

Patrícia Namitala disse...

uma bola azul de fantasias...
ai que saudades do azul dos meus dias!
belo poema, transportou-me a algumas reflexões... tão íntimas!

Dauri Batisti disse...

“doí o mundo em mim
queria voltar o mundo”

Essa experiência que você traduziu parece ser a de muitos. Mas, bom saber que maior do que a dor é a queda ..."na nova manhã”

Valeu amigo.
Abração.

Dauri Batisti
www.essapalavra.blogspot.com

Wellington Felix disse...

Dauri Batisti

Querido poeta, seus toques como sempre são relevantes como podes ver..., muito obrigado por 'seus toques' e mais ainda pela honra de sua visita nesta humilde casa.
E não penses que eu esqueci o convite de aportar por ai...

Wellington Felix disse...

Patricia muito obrigado pela sensibilidade e pelo lindo comentário que teceu sobre meu poema. E seja sempre bem vinda!
Fui de visitar e achei seu blog muito legal

Jacinta disse...

Lembranças...
Belas e nem tão belas. Assim mesmo, "medo e aceitação" do que se romperia no novo do meu viver.
E sinto que assim continua o crescimento, um tantinho doloroso, mistura de medo, vertigem, prazer...

Jacinta Dantas

Wellington Felix disse...

Querida amiga Jacinta, seus comentários incorporaram no poema, fazendo parte dele, é muito bom te-la em minha casa, sinta-se a vontade, ja és de casa...