27 de set de 2010

Reflexos, espelhos e Luas

-
REFLEXOS
A lua na poça profunda
aprofunda minhas poças
nua pisavas eu e a lua

eu provava a minha nudez,
a sua e a da lua
me aprofundava na sua
toquei a lua por brevidade
minha e sua

sou dono da lua e dela nua
ilusões de estrela cadente
que aprofunda em mim
o desejo da moça, de poças, luas e
espelhos
na poça de lágrimas pra lua
restou a lua na poça

não pises na poça tampouco nessa lua
jazZiam estrelas

Wellington Felix

6 de set de 2010

O que o amor precisa?





FOTO DA PINTURA DE LAURA GRUBER -"NATUREZA DO AMOR"
A VENDA EM:
(http://www.bimago.pt/quadros/paisagem-2/arvore-1/natureza-do-amor.html)




O amor precisa espontaneidade,
dignidade, humanidade,
emoção, alimento e fome, arte...

O amor precisa de coragem,

O amor precisa reflexo,

O amor precisa de certeza,

O amor precisa de nos,
de dois, de 1000, de 1000000

O amor precisa de vontade

O amor é prisioneiro da posse

O amor precisa de raízes e asas,

O amor é liberdade

O amor precisa de intensidade

O amor precisa de paz

O amor na distancia é saudade

O amor é batalha mas não guerra

O amor é contrario do ódio

O amor não precisa de nada

O amor precisa do todo

O amor precisa nascer e renascer.

O amor é aqui e esta ali.

O amor esta em seu olhos

O amor precisa de amor....

O amor precisa do seu amor.

11 de ago de 2010

Surpresas

(Nanda- surpreenda-me-super-prenda-me- surpresa-sou -sua - presa)

Surpreenda-me
com seu olhar .
Surpreenda-me com esse sorriso.
Surpreenda-me com a beleza da simplicidade.
Surpreendo-me enxergando-te  no escuro,
porque seu cheiro é o melhor perfume...
Surpreenda-me com a importancia de ser
Surpreenda-me toda manha, tardes e noites...
Surpreenda-me com essa felicidade...
(tocando a eternidade)
Surpreenda-me com seus carinhos.
Surpreenda-me com seus  abraços ternos.
Surpreendo-te,  meu braços seu ninho....
Surpreenda-me com o mar nessa sua paz.
Surpreenda-me com o entardecer ( de laranjas e vermelhos)
Surpreenda-me com seu calor (de vermelhos, rosas e carmins)
Surpreenda-me por existir!
E por fim surpreenda-se com nosso amor.


12 de jul de 2010

Morrer é pouco



estive atento,



e sou pássaro,


sou flor um todo.



me perdi, desconectei,


morrer é pouco,


pior é não lembrar da vida...

28 de mai de 2010

Uma palavra - dedicado a Fernanda Varela - W.Felix


Eu quero uma unica palavra,
que como agua morna a envolvesse,
fosse ela um refluir de emoções ternas,
como o primeiro banho.

Uma palavra suave,
como a lagrima de alegria ao ver te .
orvalho da minha emoção...

Uma unica palavra
Que como a cachoeira 
preenchesse de carinho
todos os espaços vazios

Se derramando forte e consistente,
como um silêncio profundo

Uma palavra simples,
límpida, ao mesmo tempo incisiva
como um maremoto, 
um diluvio de letras e canções
 que inundasse 
o mundo de vida e paixão 

Uma palavra definitiva,
que matasse por um momento,
essa nossa sede inconsolável de amar....

24 de abr de 2010

Paixão

Sou o mar do teu olhar,
sou mi , sou fa, seu fã, seu sol
sou eu em seus braços,
já não sendo,
voando sem sair do chão,
sou a musica no ar...
complexo e simples,
como seu beijo.
Ja não sou meu ,
sou seu, fudeu!
tele-transportei-me,
me adiciona,
no seu coração,
ou me esquece
devagar...
pois ja não estou,
ja não sou,
me particionei,
me pulverizei,
me tira de fora,
me poem pra dentro,
me tira das letras,
me tira de letra,
não quero ser só palavra,
me deixa ficar dentro,
bem dentro,
me faz inteiro só asas,
encaixa, aiiiiiii,
me acha ...me acha!
pois o mundo ja me perdeu,
quando seu olho,
me encontrou,
rebola, faminta, não minta
ja  não sou meu, quero prisão
da paixão,  se explode,
me implode, sofrer é  parte
quero viver, mi, si arde.
Me prende nos seu braços,
me acha, me amassa, me ama,
me encaixo,
seu macho,
um cacho de uva,
niagara no chão,
do seu quintal,
que tal!
me sente,
presente
me tente
se sente
senta
aqui
eu mexo
remexo
adentro seu fosso
meu fosso
meu osso
me perco
me acho
sou tudo
sou teu
ateu
sou teu
a -Deus

23 de abr de 2010

Lembranças do dia cinza (Inspirado por Thmemo)



Fonte: olhares.com

Puxa é dia ou noite?
ja sei é cinza.
sei que é osso!
é um esboço?
é ponto de vista ou final,
afinal são tão belas as lembranças,
nada morre de vida nem Severina.
somente internos fossos,
tira a culpas bota sonho
cisão de dor com frio.
é arrepio.
o caminho é a concisão
o resto passa, doí mas passa
sutil mente fica saudades..
.

22 de abr de 2010

Desire and sky

Fotografia de Luis Azevedo/ www.olhares.com

Posso encontrar seu diamante,
nesses olhos capazes de amar,
prismas de luz.
lampejo de e,

strelas,
caminhos e sonhos,
a-cor-dando todos sentidos da pele,
presença e mansidão...
escuridão e meia luz,
entre- meios molhados,
meia luz e madrugada,
amor e blues até bem tarde,
the flower under skin
leds in the ski blue
príncipe sou no céu desse olhar, 
permanência e aconchego,
arrogância e invasão!
entrega e domínio...
e o que mais iria importar

12 de abr de 2010

O azul escuro a lembrança e o nada. (lunbre breu and blues) Dedicado a Josiane Maya

Entre o azul escuro e o amanhecer
Entre encarnações um encontro,
não esqueço um estremescer
em meus braços seu ser,
seu choro compulsivo são lembranças
se desprendendo do medo e da esperança
mas ela se nega e foge...
 ela se vai, devagar, sem reconhecer ,
e se vai de mim e de sí mesma
Entre Manaus e São Paulo
uma semana
Antes do amanhecer seu avião saia com o sol
as nuvens escuresceram....
ela se esvai na lembrança,
antes mesmo do amor,
 entre a luz e o breu
Ela se foi

11 de abr de 2010

Mestre de vida


Dedicado ao poeta, andarilho, ator, Mago, Mestre e querido amigo Marcio Cassoni:

Tenho digerido planetas,
tenho fome de estrelas e sede de milagres,
porisso estou atento a vida.
Tenho o mar por quintal e o universo como familia,
meu pé direito é a abobada celeste,
entres sombras e cores, dores e amores,
meu coração se torna o tempo,
 e ele bate sempre apressado.

9 de abr de 2010

Estreitas entre estrelas e mais nada

No encontro do rio negro com a solidão
um encontro da boca da serpente
com a angustia de ser orfã.
Um passaro nasce ja ferido
não sabe do amor.
Um destino na estrada
um nó entre a tristeza e a dor
vacuo de sensibilidade, um precipicio
armadilhas e gaiolas mal cuidadas...
Atenção e permanência não dizem nada,
para que asas, sem sentidos
mas ha desejo de nuvens e estrelas,.
sobretudo voar e mais nada

17 de mar de 2010

Pequenas mentiras

O mundo mente pra você
o tempo todo a midia mente
contanto o que voce quer ouvir
teu pai mente pra você
e sua mãe te falou do Noel
criou sonhos e lendas,
e pagou por elas
você mente quando chora,
voce mente sorrindo....
os seus amigos mentem,
a pior vitima, acredita,
a ganancia mente e  faz mentir
a imagem mente pra você
pois seu ego também é mentira
como: a politica ,a historia e nossos espelhos
são nossas mentiras cotidianas matando verdades
Em contrapartida há essa alegria do seu cão
a flor, o amor, aquele tremor
a pele arrepiando...
um canário cantando ao fundo
a nudez, a palidez, o final de tarde
a arte, a lucidez, a musica, a loucura
 o emudecer, o ser, o sentir, o silêncio
o sol a luz, a dança da pele, o escuro,
e o novo amanhecer
há de se retirar poesia
nestas pequenas verdades
que valerão a minha a sua,
a nossa história.

8 de mar de 2010

Amizade

dois meninos correndo na praia
dois meninos quebrando vidraças
dois meninos surupiando camisetas
dois meninos crescendo
dois meninos e um passe pro gol
dois meninos escrevendo poemas
dois meninos no primeiro baile
dois meninos e a maldita gravata
dois meninos mais que primos amigos
dois meninos correndo no tempo
dois meninos e uma mulher
dois meninos e uma maça
dois meninos e uma mentira
duas magoas e uma verdade
um menino e essa saudade

15 de jan de 2010

Poema Lábios - Wellington Felix de Oliveira Costa.

Seus lábios tocam
o imprescindível

seus lábios tocam
meu impossível

nossos lábios
se abrem
e se encontram
Nossos lábios tocam
só notas desconhecidas

Meus lábios
me contam em silêncios
todos seus segredos...

Em meus lábios
 seus labirintos
 se encontram

 Lábios que pulsam
e molham-se desertos,
por nascentes iluminadas.

Seus lábios tocam mansidões e espasmos. . .

por entre línguas,
 seus lábios,
preenchem todas lacunas

meus lábios abrem sorrisos
e desvelamentos

Nossos labios
descobrem todos entremeios
nossos halitos tornam-se habitos

Meus lábios tocam seu meio,
no centro,
 constroem inteiros

 meus lábios abrem
labios e gemidos

seus labios tornam-se gritos
fazendo ritmos

seus lábios  no meu intimo
tocando sem pressa
meu coração