27 de mar de 2008

Paz na floresta

Paixão





O combustível da vida é a paixão
paixão por servir, paixão por pessoas
a paixão é uma chama
ao mesmo tempo combustível e combustão
faz a diferença, é o tesão,
é a ação com a certeza
é a dança ao sol ou na chuva
é a força de toda revolução
é o amor em ação
contaminando com mais vida
Eu desejo para humanidade
uma vida apaixonada
assim
paixão pela Terra
paixão pelos sol
paixão pela lua
pela musica, pela dança
paixão pelas estrelas
paixão por flores
paixão por aromas
paixão pelos amigos
paixão pelo caminho
paixão pela estrada
paixão pela vida
porque começar a morrer é viver sem paixão

24 de mar de 2008

myself and yourself


Naquele encontro
retirei minha vaidade ,
minhas roupas,
Retirei os sapatos
Retirei a pele
e totalmente exposto e em carne viva
numa incisão profunda
abri meu peito
encontrei meu coração
batendo pra voce

No segundo encanto
Retirei sua vaidade
e com carinho suas roupas
e ao longo dos anos
Retirei tambem seus sapatos
dos meus armarios onde sufocavas
por fim ...
Assim dolorosamente
veio a despedida
e retirei da minha pele
o seu cheiro impregnado
mas você não contente
levou novamente meu coração
de uma vez
para um sempre

21 de mar de 2008

Descoberta

Alguns olhares rompem o silêncio mais espesso
Reflexos do sol em meu peito ascendem a lua

16 de mar de 2008

A palavra,o silêncio e a Saudade


quando podemos ouvir o barulho de uma lágrima
apenas com o coração...
o poeta habita o silêncio sim!

é quando ele apalpa nossa alma
e entendemos as tristezas

a escuridão e a claridade
são somente escolhas?

assim como a fome,
a carência e a mediocridade?

há verdade nesses olhares tortos e incertos

13 de mar de 2008

Religare ( vem do latim "re-ligare", que significa "ligar com", “ligar novamente”, restabelecer a ligação perdida com o mundo que nos cerca ou




Belos elos da corrente

que me enforcam

na beira desse abismo
e seguram amarguras
eu preciso da descrença

dessas velhas desavenças
das magnificas diferenças,
quero aprender
com agruras,

das belas gravuras

quero ver a paisagem

se tranformar

do amanhecer ao entardecer
eu quero o desafio,
no fio da navalha
de atravessar muralhas
das sombras que apavoram
dos que me ignoram...

velocidade e adrenalina

preciso de vinho e de cerveja
eu preciso de um garçom!
eu preciso da Amazonia.
preciso de suas mãos nas minhas ...
de companhia, das minhas fantasias
de realidade e sonho, do nada do tudo
preciso de contentamento e de tristeza
da experiência dual

do bem, do mal
crescer, eu preciso rejuvenescer
eu preciso dessa luz de todo dia
de lutas não de guerra

eu preciso de Deus sem religiões

para contemplar o divino em tudo

eu quero a fé do primeiro parto

repartir

6 de mar de 2008

Desconstrução




Qual a direção dos ventos?
Qual a nossa direção?
Qual a sua direção ?
não temos tempo

não tenho tempo

pra esperar o tempo do outro...

não há mais tempo !

na verdade nos perdemos
o que você quer do outro?
só o que compensa...
a intimidade sai pela janela

as geleiras derretem
40 graus na sombra

é nossa a recompensa
o grupo se perdeu em vendavais
não se para um rio para construir pontes
é o fluxo

porque não enxergamos mais
a claridade fugiu-se em intenções furtivas
cadê o outro em você, e o todo?
Quais são seus hábitos ?
não nos interessamos mais . . .

as florestas caem uma a uma
mas os seus segredos me são tão claros
e suas construções viraram labirintos
onde se ergue o ego
a amizade se perde ao vento
e dos laços que não fizemos
os amigos escaparam
o cultivo fundamental do fundamental
a importância é construção
a intimidade é construção
a amizade é construção
cultivar para colher é básico
o resto só tijolos e cimento
e como todos os castelos
virarão pó no tempo