23 de mar de 2009

Saco cheio

Acumulamos tanto
do tão pouco importante
Acumulamos tanto
em um saco cheio de tristeza,
de inseguranças, bens, e tanto desamor.
o importante é ouvir você
sente ainda o som da primeira explosão,
a percorrer sua espinha num solo de guitarra,
voce sente na vibração da sala, a mãe do universo
voce sente sob os pés o chão estremecer num solo de baixo,
eu ainda sinto um blues tocando infinitos, migrado universos
um tambor ao hino de ravel explodindo orgástico final
um baixo ritmando o coração
não pare de parar!
simplesmente "Auscultar" no seu interior
musica, silêncio, musica, silêncio
isso é respirar, não da pra parar!
ao fundo o barulhinho de agua,
fonte e frutas em frente
abrace arvores e amigos
sinta na pele a pele
a vida é o vento,
por vezes brisa outras furacão
um templo de sons e silêncios
um renascer diario
o que sentimos fica!
no som do universo
ecoando no novo grito da maternidade

13 de mar de 2009

Pirofagia

a cinza jamais lembra que foi fogueira,
dos fogos fica o cheiro forte da polvora
e na lembrança da luz, do calor dessas chamas,
chama a vontade de amar
essa é a brasa.
abrasa saudade
e um dia explodir novamente na noite escura
ascender um clarão de vida
pirofagicamente religare

7 de mar de 2009

lugar incomum - Wellington felix de Oliveira Costa

quando o olhar é ausente quando a porta de saída é preservar o amor quando a vida é um partir quando um partir é colheita quando uma colheita é passado quando o presente é plantio quando um adeus é necessidade quando sua verdade é mentira quando a necessidade é segura quando o tempo é curto quando o passado te assola quando a sola é seu sapato quando a culpa é do olhar quando o olhar volta pra gente
dentro bem dentro

o folego acabou
(essa noite passa?)
e a vida continua
lugar incomum