18 de out de 2007

_________Filho da Terra________

Dedico esse poema ao grupo de poesia Filhos da Terra que se reunem as quartas feiras na Taberna do Espaço holistico Aldeia dos ventos

Sonhando estrelas durmo,
calado
Embaixo do asfalto

de baixo da terra

resignado

Estou germinando

esperando a hora
de explodir a casca
e revolver o solo
de rebentar o asfalto
De derreter o gelo
e olhar o céu
minha rima é acaso
sou mais um daqueles,
que almejam verdejar,
rever o mar...
Eu estou semente,
trago a genética do melhor do homem
e vou contaminar as almas novas,
tenho em mim o vírus bendito dos filhos da Terra
sou alma velha e transcendente
E tenho amor, eu sou amor
Eu vim do amor!
E vou te dar o germe da mudança
pra re-explodir e ir alem de mim,
eu quero vocês que queiram amar
Eu quero companhia que queira respirar!!!!
Levanta daí vem se contaminar
Repaginar com o vírus bendito
Vem comigo, seja semente
Assuma ser parte, seja a planta,
Vamos florescer ,
ser céu ,
ser o bicho e mar
e assim então faremos
a fotossíntese maior
Salvar o homem do homem