9 de abr de 2010

Estreitas entre estrelas e mais nada

No encontro do rio negro com a solidão
um encontro da boca da serpente
com a angustia de ser orfã.
Um passaro nasce ja ferido
não sabe do amor.
Um destino na estrada
um nó entre a tristeza e a dor
vacuo de sensibilidade, um precipicio
armadilhas e gaiolas mal cuidadas...
Atenção e permanência não dizem nada,
para que asas, sem sentidos
mas ha desejo de nuvens e estrelas,.
sobretudo voar e mais nada

Nenhum comentário: