11 de dez de 2007

Sequestro


Eu e você e nossa cama
e meus abismos que me lanço
todo desejo e vontades,
é nesses dias onde morro feliz

Eu e você e nossa cama e seus abismos
em que me lanço entre pernas fluem rios
entre nuvens essas montanhas redondas
onde minha perdição é encontro

E essa lagoa a mais profunda
onde mergulho e me afogo
onde nasci e me fiz homem
onde sinto-me vivo, e aprendiz

Eu e você e nossa cama
nossos abismos que me lanço
carnes e formas me agarram
voo suspirado entre seios...

Nesses momentos sua boca se faz minha...
minha boca se fundiu
e o mundo inteiro é nossa cama
e o universo o nosso orgasmo

4 comentários:

*andorinharos@ disse...

Rapaz, que poema instigante e tão bem composto em palavras. teus versos dinstiguem com levesa o sexo protegido pelo sentimento "paixão" de uma forma, mágica e encantada. Ah, amei demais sentir com a carne da alma cada palavra... Lindo! Parabéns...

Tony Felix disse...

Érica disse...
Realmente esse poema está precioso... é dos tipos de poema que me fascinam e me levam a sair desse mundo tão mediocre e injusto para um nível mais elevado, onde reina o belo, o prazer, o entregar-se e compartilhar... Parabéns Wellington por sua sensibilidade. É um grande prazer poder degustar de sua poesia aqui nesse espaço. Um abraço!!!
21 de Novembro de 2007 08:53
Felipe Carvalho - FC disse...
Belo poema... belas metaforas... bela inspiracao... Muito gostoso de se ler...
Abraco!
23 de Novembro de 2007 19:12

Wellington Felix disse...
Érica precioso pra mim foi esse comentário, que me emocionou e me deu vontade de escrever outros, pois eu quero palavras que abram janelas porque sabem voar!
e que levem e enlevem o leitor a voar junto nesta indizivel loucura de tocar os ceus da poesia!
25 de Novembro de 2007 00:17

Wellington Felix disse...
Felipe que o meu poema te inspire a belos amores, a todas as paixões que seu coração suportar e não suportar, e traga o mais belo dos belos poemas esse amor em extase!
Obrigado pela sua visita e sua leitura.
25 de Novembro de 2007 00:21
Textos & Pretextos disse...
Oi Wellington
A Ana Penelope me mostrou o teu poema de amor. Achei lindos o ciclo de imagens e o ritmo dele. O amor ocupa o universo inteiro e o tempo inteiro.
Abraços e parabénsjanelas porque sabem voar!
e que levem e enlevem o leitor a voar junto nesta indizivel loucura de tocar os ceus da poesia!
25 de Novembro de 2007 00:17


Textos & Pretextos disse...
Oi Wellington
A Ana Penelope me mostrou o teu poema de amor. Achei lindos o ciclo de imagens e o ritmo dele. O amor ocupa o universo inteiro e o tempo inteiro.
Abraços e parabéns

Tony Felix disse...

Andréa Cristo disse...
Welliton poeta... Teus versos amorosos são muito bem entoados. Intuio que o amor e o prazer fundidos é umas das coisas que mas te fascinam nesta existência, e é por isso que cantas ao amor com tanto carinho e esmero. Linda poesia, carregada de sensualidae e o mais importante. Me inspira uma virilidade sensível e doce, de um homem que navega e voa nos espaços do prazer carnal com sinestesia... Muitos dirão que virilidade não encaixa com doçura, mais eu não concordo. Abraços.
20 de Novembro de 2007 17:08

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...
que poema mais... fogoso!

Muito bom. =D
20 de Novembro de 2007 17:14

Electronic Music Freak disse...
Lindo mas nao entendi rs ....
20 de Novembro de 2007 17:28

Wellington Felix disse...
Andreia esse poema saiu de mim num repente, depois parei e me emocionei, com o que havia escrito, mas só hoje eu chorei ao ler seus comentarios pois ao le-lo me leu. Muito obrigado por seus lindos comentarios.
20 de Novembro de 2007 18:01

Wellington Felix disse...
"Electronic Music Freak :
disse...
"Lindo mas nao entendi rs ...."

Abaixa o som da musica, senta aqui,escuta com a alma e deixa sentir, assim , só sentir, entender ja é outro poema . . .

Obrigado
20 de Novembro de 2007 18:06

Wellington Felix disse...
Zamfa, obrigado pela visita, meu elemento é fogo,(signo)
minha cançaõ é ar, (ascendente)
todos combustiveis.
pra apagar só mesmo o mar!
20 de Novembro de 2007 18:11
tati disse...
Belo poema... os versos livres são os meus prediletos.
20 de Novembro de 2007 19:40

young vapire luke lestat news disse...
adoro seus poemas...
Eles são deliciosametes eróticos, sem tornar-se vulgares ...
parabéns


[]s L.Sakssida
20 de Novembro de 2007 19:41

César Fernández disse...
que lindo :D
20 de Novembro de 2007 19:48

Wellington Felix disse...
Oi Tati seu blog é um luxo, fico contente de voce nos visitar, volte sempre, a poesia vibra liberdade e que nunca ela fique amarrada por rimas, formas e obrigações gramaticais, como disse a poetisa Jeanine Will no poema Verniz...
www.caminhaodemudanca.blogspot.com
21 de Novembro de 2007 00:23

Wellington Felix disse...
Ola jovem ex-vampiro dos Bancos Internacionais, eu tambem te admiro pela sua coragem de alçar voos nas noites do desconhecido, desta bruta coragem de chutar o pau da barraca da solidez e da acomodação.
21 de Novembro de 2007 00:30

Wellington Felix disse...
Cesar muito obrigado, pela sua visita, ainda muito apaixonado, e cuidado com a rotula, agora chama-se Patela, so um segredo ser apaixonante não tem muito a ver com Beleza e feiura, olhe a sua volta lindas mulheres com homens feios e vice versa.
pense melhor e tire novas conclusões
abraço
21 de Novembro de 2007 01:37

Tony Felix disse...

http://www.myspace.com/377709134/blog/391419479